Banner Scanner 29-10-2
Master 14-12
SAFRA DE GRÃOS

R$ 1 bi de crédito para transportadoras durante a colheita recorde

Com um ritmo de plantio muito acelerado considerado pelos especialistas um dos mais rápidos da história, a próxima colheita de soja do Brasil promete ser expressiva

21/12/2021 12h40Atualizado há 4 semanas
Por: Romulo Felippe
12.487

 

Com um ritmo de plantio muito acelerado considerado pelos especialistas um dos mais rápidos da história, a próxima colheita de soja do Brasil promete ser expressiva. Com a eficiência na semeadura da oleaginosa, consequentemente haverá uma janela maior para a safrinha de milho, que vem logo em sequência. Assim, as projeções são de uma safra de grãos recorde (289 milhões de toneladas, 14% a mais que a mais que a temporada 2020/21), segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

 

Para o economista, Lucas Teixeira Castellani, gerente de produtos financeiros da logtech goFlux, a safra 2021/22 que começou a ser plantada em outubro, foi uma das mais rápida da história. “Com a safra com ótima janela de plantio, aumenta também a expectativa para o milho safrinha. Embora ainda dependente de chuva, tudo aponta para uma temporada recorde”, diz.

 

Com uma produção recorde a caminho, ao mesmo tempo que o setor fica animado, por outro lado alguns fatores já causam preocupação, pois quando há uma safra recorde de grãos, consequentemente haverá um volume muito maior de produtos a serem transportados. Como quase toda a produção é escoada por modal rodoviário, os preços de combustíveis, e alta da taxa de juros tem onerado o caixa das transportadoras.

 

Segundo o economista, 43% dos custos de uma transportadora são com diesel. Já este ano, esse gasto subiu para a casa dos 60%, saindo de R$ 3,70 o preço do litro do combustível no começo do ano, para R$ 5,40 agora. “Hoje o combustível impacta muito mais no custo da transportadora do que antes. Para compensar isso, as empresas terão que se ajustar financeiramente para conseguir custear a operação”, ressalta.

 

Ainda de acordo com o profissional, com a inflação acima da meta, o Banco Central sobe os juros aumentando a taxa Selic, ou seja, com essa manobra, na teoria diminui a inflação, entretanto o custo financeiro aumenta, o que significa dinheiro no mercado mais caro. “Com o aumento da Selic, os bancos sobem juros, encurtam prazo e são mais seletivos no crédito’’, acrescenta.

 

Diante deste cenário, mais do que nunca as transportadoras precisam de ferramentas financeiras adequadas à atividade. A goFlux se destaca com soluções inovadoras. A logtech inicia a próxima safra com orçamento de R$1 bilhão para auxiliar o setor com produtos financeiros. “Estamos prontos para atender todas as transportadoras de nosso ecossistema. Disponibilizamos a elas, produtos que não teriam acesso no mercado, ainda mais nesse momento com taxas adequadas, operações desenhadas exclusivamente para o setor”, relata Castellani.

 

Entre suas soluções, destaque para dois produtos, o naConta Pré; e naConta Pós. A primeira modalidade, trata-se de ferramenta de concessão de crédito às transportadoras no momento que elas mais necessitam, ou seja, após a oferta ganha dentro da plataforma e antes do carregamento da carga, de maneira rápida e sem burocracia. Já o naConta Pós trata-se da antecipação de recebíveis do valor do frete já performado/entregue dentro da plataforma. Possibilitando um menor prazo de recebimento e consequentemente mais giros para as transportadoras.

 

Em uma única interface, a transportadora consegue vender seu serviço (frete) para grandes embarcadores e ao mesmo tempo ter crédito para realizar o frete contratado. “Com o acesso a recursos financeiros dentro da plataforma no momento certo, possibilitamos mais giros, equalização de fluxo de caixa e consequentemente melhor qualidade financeira”, diz o especialista.

 

A goFlux é uma plataforma digital para cotação, contratação e gestão de fretes rodoviários de carga no Brasil. A solução simplifica a conexão entre empresas que contratam fretes em grande escala, principalmente para o agro e também indústrias de alimentos, siderúrgicas e outras companhias que prestam serviços de transporte (relações B2B) a mais de 1600 transportadoras. “A plataforma regula todo o processo com base em algoritmos analíticos sempre com mensuração de dados com a liberação de crédito 100% vinculada ao histórico de performance na plataforma. Temos um Big Data que faz essas análises diariamente”, relata o gerente de produtos financeiros.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários