Banner MBB top Site
PERSPECTIVA

Mercedes-Benz aposta no crescimento do mercado brasileiro em 2021

Em 2021, Mercedes-Benz do Brasil completa 65 anos, anuncia novos empregos e mantém investimento de R$ 2,4 bilhões

24/02/2021 11h10Atualizado há 4 semanas
Por: Romulo Felippe
4.667

Em coletiva de imprensa on-line, a Mercedes-Benz revelou que fechou o ano de 2020 novamente como a fabricante líder nas vendas de veículos comerciais no Brasil. Pelo 5º ano consecutivo, foi a marca que mais emplacou caminhões no País, conquistando mais de 31% de market share. No segmento de ônibus, com aproximadamente 47% de participação, manteve sua tradicional liderança de 64 anos. Estas posições seguem mantidas neste início de 2021.

“Num ano atípico como 2020, fortemente impactado em todo o mundo pela pandemia do coronavírus, superamos os obstáculos e mantivemos a nossa marca no topo de vendas e de participação de mercado de veículos comerciais”, afirma Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina. “Com isso, o Brasil volta a ser o primeiro mercado do mundo para caminhões Mercedes-Benz, além de ser também o maior para ônibus da marca”.

De acordo com o executivo, esses resultados devem-se ao compromisso com os clientes e com suas demandas e necessidades. “Sempre estivemos e sempre estaremos ao lado de quem transporta carga e passageiros neste país de dimensões continentais. Não deixamos de ampliar e modernizar nosso portfólio de produtos e serviços e isso fortalece ainda mais a confiança que os clientes têm na nossa marca e em todas as soluções que oferecemos a eles. Portanto, a liderança em vendas no ano de 2020 nos deixa motivados a buscar novas conquistas em 2021, que será ainda desafiador para todo o mundo e não só para o Brasil”.

“Em função de uma melhor perspectiva em 2021, a Mercedes-Benz reafirma sua confiança no País, onde atua há quase 65 anos. Nesse sentido, a fim de atender às demandas dos clientes, estamos criando mais de 1.000 novos empregos para nossas fábricas de veículos comerciais, entre contratações temporárias e efetivações de aprendizes do SENAI”, informa Karl Deppen. “Além disso, estamos mantendo o investimento de R$ 2,4 bilhões no Brasil até 2022. Mesmo com todos os desafios, vamos seguir com nossos planos”.

Do investimento programado de R$ 2,4 bilhões para o período 2018-2022, R$ 100 milhões foram entregues na 2ª fase da Indústria 4.0, com a inauguração da Nova Linha de Cabinas de Caminhões, em fevereiro de 2019. Mais R$ 100 milhões foram destinados à construção da Nova Linha 4.0 de Ônibus, inaugurada em setembro de 2020. E um total de R$ 1,4 bilhão foi aportado no desenvolvimento e produção dos extrapesados da família Novo Actros.

A partir de 2021, a Empresa dará continuidade à modernização das linhas de agregados (câmbio, motor e eixos) em São Bernardo do Campo (SP), também seguindo os conceitos da Indústria 4.0, além do desenvolvimento de novos produtos e serviços de conectividade até 2022.

 Além do valor mencionado, a Mercedes-Benz do Brasil e a Bosch estão investindo R$ 70 milhões em conjunto (50% cada empresa) na construção do Centro de Testes Veiculares em Iracemápolis (SP), que irá atender diferentes empresas do setor automotivo.

Pelo 5º ano consecutivo, a Mercedes-Benz liderou as vendas de caminhões no Brasil. Em 2020, foram licenciadas 26.769 unidades da marca, 4% a menos em relação às 27.994 unidades de 2019. Esse resultado garantiu à Empresa 31,6% de participação.

De acordo com dados da Anfavea, em 2020, foram emplacados 84.650 caminhões no mercado brasileiro, o que significa uma queda de 12% na comparação com as 96.254 unidades licenciadas no mesmo período do ano anterior.

No mês de janeiro de 2021, a Mercedes-Benz ampliou sua liderança nas vendas de caminhões para 36,7%, com 2.527 unidades emplacadas, 15% a mais em relação às 2.194 unidades do mesmo mês do ano passado.  

“É importante destacar que também lideramos as vendas de caminhões no concorrido segmento de extrapesados em 2020, já repetindo esse feito agora em janeiro”, afirma Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “No ano passado, foram emplacados 13.195 extrapesados da marca, o que resultou em 28,5% de market share. Em janeiro, o volume foi de 1.127 caminhões, com 30,9% de participação”.

Segundo Leoncini, mesmo na pandemia, o setor de transporte de carga não parou. “Temos que reconhecer o comprometimento dos motoristas, autônomos e transportadores. Eles seguem assegurando o abastecimento de alimentos, medicamentos e insumos, assim como a entrega dos mais variados produtos da economia brasileira. É o que acontece, por exemplo, com as demandas crescentes do agronegócio, como o transporte de grãos e de cana-de-açúcar, e também de setores como a mineração, celulose, químicos e gás, alimentos, bebidas, produtos farmacêuticos, locação e o crescente mercado de e-commerce, que, aliás, ganhou grande impulso na quarentena”.

Com 2.924 unidades emplacadas em 2020, o Actros 2651 6x4 foi, pelo 3º ano consecutivo, o caminhão Mercedes-Benz mais vendido no Brasil, considerando todo o portfólio da marca, dos leves aos extrapesados.

“O Actros 2651 é um caminhão com total aprovação, em especial no transporte de grãos, atividade do agronegócio que é vital para a economia brasileira, principalmente porque o País deverá ter uma nova safra recorde”, diz Roberto Leoncini. “Esse resultado impulsiona ainda mais o avanço do Novo Actros, que começou a ser entregue aos clientes a partir de julho de 2020 e que já teve 637 unidades emplacadas em 2020. O Novo Actros oferece ainda mais valor agregado em performance, economia, robustez, segurança e conforto, além de garantir mais conectividade e interatividade entre o motorista, o gestor da frota, o operador logístico e o cliente final”. 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários