ROTA INTERNACIONAL

Braspress Transportes Internacional inclui a Bolívia nas suas operações

Além de atender os países do Mercosul (Mercado Comum do Sul), passou a operar junto à Bolívia, a partir de 1º de setembro passado

01/09/2023 15h02Atualizado há 6 meses
Por: Romulo Felippe

 

A BTI iniciou as suas atividades de transporte na América do Sul em 2016, quando começou com Argentina e posteriormente, partiu para Paraguai e Uruguai nos dois sentidos. Agora com a Bolívia, a expectativa para novos negócios é extremamente positiva, segundo o Diretor-Presidente da Organização, Urubatan Helou.

 

“Em 46 anos de Braspress, nós nunca nos estagnamos! Sempre buscamos subir o sarrafo para testar nossas capacidades e angariar novos níveis do nosso negócio e agora com a operação da BTI na Bolívia, é uma nova chance de mais uma vez inovarmos e dar exemplo com o ampliamento do nosso trabalho”, comentou o CEO.

 

Com um escritório físico em Santa Cruz de La Sierra e uma equipe dedicada ao atendimento e desembaraços fiscais locais, todas as cidades bolivianas serão atendidas pela malha operacional da BTI, com o apoio de 160 veículos com capacidade de 106 m³, 18 toneladas e 60 pallets PBR, atuando no formato de embarque LTL (fracionado) e exportação FTL (lotação).

 

Tratando-se de América do Sul, o Brasil é o maior exportador para a Bolívia e a Companhia não poderia deixar de levar isso em consideração, de acordo com o Gerente Nacional de Vendas e da BTI, Leonardo Porto.

 

Nacionalmente, a Braspress dispõe de 116 filiais estrategicamente espalhadas por todo o Brasil, com uma frota de 3.090 veículos de coleta, transferência e distribuição, e que de certa forma irão auxiliar essa ação de forma estrutural para alavancar o seu desenvolvimento e consolidação.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários