Natal Mercedes
Dia a dia

Nova colaboração para o transporte a hidrogênio com emissão zero na Europa

Empresas se comprometem a trabalhar juntas para ajudar a criar condições para a implantação de caminhões movidos a hidrogênio no mercado de massa

15/12/2020 11h48
Por: Editora Viver
1.857
Mercedes-Benz GenH2 Truck, da Daimler Trucks: veículo de longa distância movido a célula de combustível
Mercedes-Benz GenH2 Truck, da Daimler Trucks: veículo de longa distância movido a célula de combustível

A Daimler Truck AG, juntamente com a Iveco, OMV, Shell e o Grupo Volvo se comprometeram a trabalhar juntas para ajudar a criar as condições para a implantação de caminhões a hidrogênio no mercado de massa na Europa.

Enquanto um número crescente de governos e empresas se alinham em uma visão comum de um sistema de energia com emissões líquidas zero, os participantes do H2Accelerate (acordo de colaboração entre as empresas mencionadas acima) buscam apoio público para financiar que o hidrogênio é um combustível essencial para a descarbonização completa do setor de caminhões.

A implementação em larga escala de caminhões movidos a hidrogênio deve criar novas indústrias: instalações de produção de hidrogênio com zero de carbono, sistemas de distribuição de hidrogênio em grande escala, uma rede de postos de abastecimento de alta capacidade para hidrogênio líquido e gasoso e a produção dos caminhões movidos a hidrogênio.

Os integrantes do H2A acreditam que os investimentos sincronizados em todo o setor durante a década de 2020 criarão as condições para a implantação no mercado de massa de transporte pesado movido a hidrogênio, que é necessário para atender à ambição europeia de emissões zero líquidas até 2050.

Espera-se que o aumento de escala de uma década comece com grupos de clientes dispostos a se comprometer antecipadamente com o transporte rodoviário baseado em hidrogênio. Espera-se que essas frotas operem em aglomerados regionais e ao longo de corredores europeus de alta capacidade com boa cobertura de postos de abastecimento. Durante a década, esses clusters podem então ser interconectados para construir uma rede verdadeiramente pan-europeia.

Ao longo do aumento de escala, o apoio do setor público será necessário. No H2Accelerate, os participantes esperam trabalhar juntos para buscar financiamento para os primeiros projetos pré-comerciais durante a primeira fase do lançamento. Paralelamente, os participantes se envolverão com formuladores de políticas e reguladores para encorajar um ambiente político que ajudará a apoiar o aumento subsequente da fabricação de caminhões a hidrogênio e uma rede de reabastecimento em toda a Europa para hidrogênio zero carbono.

“As mudanças climáticas são o desafio da nossa geração e estamos totalmente comprometidos com o Acordo Climático de Paris para a descarbonização do transporte rodoviário. No futuro, o mundo será movido por uma combinação de veículos elétricos a bateria e a célula de combustível, junto com outros combustíveis renováveis ​​até certo ponto. A formação da colaboração H2Accelerate é um passo importante na formação de um mundo em que queremos viver”, disse Martin Lundstedt, presidente e CEO do Grupo Volvo.

Elisabeth Brinton, vice-presidente executiva para novas energias da Shell, disse que ao aumentar a escala em grande escala, os caminhões movidos a hidrogênio precisarão ser disponibilizados aos clientes por um custo igual ou inferior ao de possuir e operar um caminhão a diesel hoje.

“Isso significa que os clientes de caminhão precisarão ter acesso a um veículo com emissões totalmente zero, com tempo de reabastecimento, alcance e faixa de custo semelhantes aos dos veículos em uso hoje. Para alcançar essa ambição, é necessária uma estrutura regulatória clara, incluindo políticas que abordem o fornecimento de hidrogênio, caminhões movidos a hidrogênio, infraestrutura de reabastecimento e incentivos ao consumidor de forma coordenada ”, completou Elisabeth.

De acordo com Martin Daum, presidente do conselho de administração da Daimler Truck AG e membro do conselho de administração da Daimler AG, as empresas participantes da H2Accelerate concordam que os caminhões movidos a hidrogênio serão a chave para permitir o transporte neutro de CO2 no futuro.

“Esta colaboração sem precedentes é um marco importante para impulsionar as condições estruturais certas para o estabelecimento de um mercado de massa para caminhões baseados em hidrogênio. É também uma chamada à ação para os formuladores de políticas, outros atores envolvidos e a sociedade como um todo”.

Já Angelika Zartl-Klik, SVP da OMV para HSSE e soluções de novas energias declarou que a H2Accelerate está desempenhando um papel pioneiro e a OMV está dando uma contribuição importante. “Para atingir as metas climáticas, precisaremos de qualquer tecnologia de baixo carbono. O hidrogênio é uma opção para a mobilidade compatível com o clima do futuro”.

Gerrit Marx, presidente de veículos comerciais e especiais da CNH Industrial, declarou: “A adoção generalizada da tecnologia de célula de combustível de hidrogênio no transporte pesado é uma função da infraestrutura necessária. Também precisamos de projetos muito concretos para demonstrar aos transportadores e outras partes interessadas na indústria que esta solução é financeiramente e operacionalmente viável. A colaboração inovadora do H2Accelerate criará as condições para que isso aconteça e acelerará a transição para o transporte de emissão zero”.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários