Banner MB top01
Mercado

Flapa Engenharia e Mineração adquire mais de 60 caminhões da Mercedes-Benz

Modelos Axor, Atego e Actros fazem parte da aquisição da empresa mineira, que investiu cerca de R$ 34 milhões nessa negociação

10/09/2020 12h47Atualizado há 3 semanas
Por: Bruno Castilho
2.085

A Flapa Engenharia e Mineração, empresa com sede em Belo Horizonte (MG), adquiriu mais de 60 caminhões Axor, Atego e Actros. 50 unidades são basculantes, dos modelos extrapesados 4144 6x4, 4144 8x4 e 3131 6x4. A empresa mineira reafirma uma parceria de 28 anos com a Mercedes-Benz. Completam a compra o extrapesado Actros 2651 para transporte rodoviário de equipamentos, outras versões do Axor 3131 e o semipesado Atego 1719 para operações de apoio, como comboio, carro pipa e munck. As entregas ocorrerão até outubro deste ano.

"Estamos investindo cerca de R$ 34 milhões nessa negociação, que envolve a compra dos caminhões e também dos implementos. Nos 28 anos da nossa empresa, os caminhões Mercedes-Benz sempre estiveram presentes e temos muito orgulho desse histórico. Escolhemos novamente a marca para renovação e ampliação de frota, porque nossos caminhões trabalham em regime severo, 24 horas por dia, e não podem parar. E nesse sentido, o Axor garante disponibilidade pela força, robustez e resistência, além da tecnologia embarcada e do apoio dos concessionários", afirma Paulo Thiago Miranda, diretor de operações da Flapa Engenharia e Mineração.

"A qualidade dos caminhões e o fato de se tratar de uma marca consolidada e de respeito no mercado nos traz um ótimo valor de revenda dos veículos", diz Paulo Thiago. "Além disso, temos um excelente diálogo com a Mercedes-Benz e voz ativa, além de sermos ouvidos com atenção em nossas sugestões e demandas junto à área técnica e comercial da fábrica", completa o diretor da Flapa.

"A Flapa é um nome de destaque nos setores de engenharia e mineração e essa longa parceria nos traz muitas referências para avançarmos com os nossos caminhões e serviços para o setor", diz Roberto Leoncini, vice-presidente de vendas e marketing caminhões e ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

"Estamos satisfeitos por essa expressiva venda e por constatar que ela foi impulsionada por novos contratos da Flapa, o que sinaliza que a mineração realmente é um dos segmentos que está puxando a retomada do mercado de caminhões e, consequentemente, a economia do país", diz o executivo da Mercedes.

Os novos caminhões foram adquiridos pela Flapa em parte com recursos próprios e o restante com financiamento do Banco Mercedes-Benz. "Isso reafirma a nossa parceria com a marca, o que também é reforçado pelo relacionamento de longa data com os concessionários Cardiesel e Minasmáquinas, nossos vizinhos na Grande BH", diz Paulo Thiago.

"Além disso, estamos testando o sistema de gestão de frota Fleetboard em nossas operações com o foco contínuo da excelência operacional em que a Flapa tanto valoriza junto aos nossos clientes e minerações próprias”, complementa.

Além da matriz em Minas Gerais, a Flapa tem unidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso do Sul, Bahia, Pernambuco, Maranhão e Pará. Em seus 28 anos de atuação, é referência nas áreas de engenharia e mineração, atendendo todas as regiões do Brasil e com alguns projetos na América do Sul. São mais de 150 obras concluídas. Na área de engenharia, atua com terraplenagem, barragens e diques, dragagens, drenagens, pavimentações e obras civis.

No ramo da mineração, se destaca pela locação de máquinas e equipamentos, britagem e beneficiamento, minerações próprias e floresta. Nas operações específicas da mineração, trabalha com remoção de estéril e lavra de minério, movimentação interna, movimentação e embarque de produtos, perfuração e desmonte, infraestrutura e apoio, além de limpeza industrial.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários