banner topo
VAMOS EM FRENTE!

Otimismo no país: PIB cresceu 4,6% em 2021 e fecha o ano em R$ 8,7 tri

Crescimentos na Indústria (4,5%) e Serviços (4,7%) e variação negativa na Agropecuária (-0,2%)

04/03/2022 10h34Atualizado há 3 meses
Por: Romulo Felippe
28.549

 

Em 2021, o PIB (Produto Interno Bruto) cresceu 4,6% frente a 2020. Houve crescimentos na Indústria (4,5%) e Serviços (4,7%) e variação negativa na Agropecuária (-0,2%). O PIB per capita alcançou R$ 40.688,1 em 2021, um avanço real de 3,9% ante o ano anterior. A taxa de investimento em 2021 foi de 19,2% do PIB, acima do observado no ano anterior (16,6%). Já a taxa de poupança foi de 17,4% (ante 14,7% em 2020).

 

Frente ao 3º trimestre, na série com ajuste sazonal, o PIB cresceu 0,5%. A Agropecuária e os Serviços cresceram 5,8% e 0,5%, respectivamente, enquanto a Indústria recuou 1,2%. Em relação ao 4º trimestre de 2020, o PIB avançou 1,6% no último trimestre de 2021, quarto resultado positivo consecutivo, após quatro taxas negativas nesta comparação. Foram registradas quedas na Agropecuária (-0,8%) e Indústria (-1,3%), enquanto os Serviços cresceram (3,3%).

 

O PIB em 2021 cresceu 4,6% ante o ano anterior. Houve aumento de 4,3% no Valor Adicionado a preços básicos e de 6,4% no volume dos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios. O resultado do Valor Adicionado nesta comparação refletiu o desempenho das três atividades que o compõem: Agropecuária (-0,2%), Indústria (4,5%) e Serviços (4,7%).

 

Consequentemente, o PIB per capita avançou (em termos reais) 3,9% em relação a 2020, alcançando R$ 40.688,1 (em valores correntes) em 2021. A variação negativa do Valor Adicionado da Agropecuária no ano de 2021 (-0,2%) decorreu do fraco desempenho de algumas culturas da lavoura (cana de açúcar, milho e café) e da pecuária (bovinos e leite), impactadas, principalmente, pelas condições climáticas adversas.

 

Na Indústria, o destaque positivo foi o desempenho da Construção (9,7%), após cair 6,3% no ano anterior. As Indústrias de Transformação (4,5%) também apresentaram resultado positivo, influenciadas, principalmente, pelo crescimento da fabricação de máquinas e equipamentos; metalurgia; fabricação de outros equipamentos de transporte; e fabricação de produtos minerais não-metálicos; indústria automotiva.

 

As Indústrias Extrativas cresceram 3,0% devido à alta na extração de minério de ferro. Já a atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (-0,1%) ficou estável em relação a 2020, sendo afetada negativamente pela crise hídrica.

 

Todas as atividades dos Serviços tiveram crescimento: Informação e comunicação (12,3%), Transporte, armazenagem e correio (11,4%), Outras atividades de serviços (7,6%), Comércio (5,5%), Atividades imobiliárias (2,2%), Administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (1,5%) e Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (0,7%).

 

Na análise da despesa, houve alta de 17,2% da Formação Bruta de Capital Fixo, que voltou a crescer após cair 0,5% no ano anterior. A Despesa de Consumo das Famílias avançou 3,6% em relação ao ano anterior. A Despesa do Consumo do Governo, por sua vez, cresceu 2,0%. No setor externo, as Exportações de Bens e Serviços cresceram 5,8%, enquanto as Importações de Bens e Serviços subiram 12,4%.

 

No acumulado do ano, o PIB em valores correntes totalizou R$ 8,7 trilhões, sendo R$ 7,4 trilhões referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 1,3 trilhão aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios. A taxa de investimento no ano de 2021 foi de 19,2% do PIB, acima do observado no ano anterior (16,6%). A taxa de poupança foi de 17,4% em 2021 (ante 14,7% em 2020).

 

O PIB cresceu 0,5% no 4º trimestre de 2021 na comparação com o trimestre imediatamente anterior (com ajuste sazonal). A Agropecuária e os Serviços apresentaram crescimento de 5,8% e 0,5%, respectivamente, enquanto a Indústria recuou 1,2%. Dentre as atividades industriais, houve queda nas Indústrias de Transformação (-2,5%), nas Indústrias Extrativas (-2,4%), e variação negativa na atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (-0,2%). O único resultado positivo foi na Construção (1,5%).

 

Nos Serviços, as atividades de Informação e comunicação (3,4%), Transporte, armazenagem e correio (2,6%), Outras atividades de serviços (2,1%) e Administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (1,0%) tiveram crescimento. Em contrapartida, houve queda no Comércio (-2,0%), seguida pela variação negativa nas Atividades imobiliárias (-0,4%) e estabilidade nas Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (0,0%).

 

Pela ótica da despesa, houve crescimento da Despesa de Consumo das Famílias (0,7%) e da Despesa de Consumo do Governo (0,8%). Já a Formação Bruta de Capital Fixo apresentou estabilidade (0,4%).

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários