Banner Librelatto top
Novo Volvo Master
Banner MBB top Site
BRASIL

Scania revela que lidera nos caminhões pesados no acumulado

Balanço dos primeiros meses do ano comprovam o aquecimento do mercado apesar das dificuldades impostas pela pandemia

28/06/2021 16h08Atualizado há 1 mês
Por: Romulo Felippe
7.972

                                                                                

Em coletiva de imprensa, a montadora revelou que, no balanço dos primeiros meses de 2021, houve um crescimento de vendas de caminhões, serviços e motores. Apenas o segmento de ônibus continua em queda sofrendo os impactos da demora da vacinação no país. Por outro lado, a comercialização de caminhões a gás continua em alta com a marca se aproximando da meta de 200 unidades vendidas.

 

“A Scania segue firme na liderança da transição para um sistema de transporte mais sustentável. A nossa jornada de sustentabilidade está acontecendo em um ritmo cada vez mais acelerado. O caminhão a gás, que é o carro-chefe desta transformação no Brasil, já ultrapassou a marca de 150 unidades vendidas. O número de empresas que aderem à solução vem aumentando mês a mês. Já fazem parte deste grupo os principais embarcadores do país”, afirma Roberto Barral, vice-presidente das Operações Comerciais da Scania no Brasil.

 

No início das vendas do pioneiro produto a gás da Scania, eram os embarcadores que estavam orientando as empresas que transferem suas cargas a buscar esta solução alternativa ao diesel. Ou seja, as grandes marcas que têm a sustentabilidade como meta e reconhecem a importância de reduzir os impactos das atividades logísticas, contribuindo para as próprias metas relacionadas a ESG (Environmental, Social and Governance). Neste momento, esse cenário vem mudando. São os próprios transportadores que estão buscando adotar práticas mais sustentáveis e este  movimento passa a se tornar o normal. 

 

“No balanço do ano até aqui, registramos um volume muito forte de encomendas de caminhões. De janeiro a maio, a Scania foi a primeira da categoria dos pesados, sendo líder consecutiva nos meses de março (1.718 unidades), abril (1.532) e maio (1.736). Foram volumes mensais de emplacamentos não atingidos desde 2013, nosso melhor ano de história no país. Além disso, nossa participação subiu de 18,6% para 25,9%, a maior dos últimos três anos. Enquanto o mercado teve alta de 71%, a Scania registrou quase o dobro disto de volume de pesados”, comenta Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania no Brasil. “Fator que comprova a promessa de rentabilidade da Nova Geração de caminhões”, completa. A grande maioria dos segmentos continua aquecido e apenas o transporte de automóveis segue com baixos volumes.    

 

No ranking da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) a Scania tem três modelos, R 450 (2.804 unidades, segundo modelo mais vendido da indústria e participação de 11%), R 540 (1.318) e R 500 (814 unidades). 

 

Já no segmento de caminhões fora de estrada, a Scania projeta que 2021 será o melhor ano da comercilização destes produtos na história da marca no Brasil. A mineração continua muito forte devido aos preços do minério e vai permanecer assim em 2022, puxando esta categoria. Vale reforçar que uma demanda interessante chega dos setores de cana e florestal pelas soluções a gás. Ambos também estão em ritmo aquecido de renovação e ampliação das frotas. Para 2022, a fabricante acredita ser possível ter um ano ainda melhor do que o histórico 2021.

 

Nos ônibus, que continuam registrando os mais fortes impactos negativos pela pandemia, a expectativa é de uma melhora no último trimestre deste ano em razão da continuidade da vacinação. Destaque para o início da operação do primeiro ônibus a gás (natural e/ou biometano) rodoviário para o fretamento de colaboradores da Gerdau, no Rio Grande do Sul, pela operadora Turis Silva. 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários