Banner MB top01
Dia a dia

Conet discute o resultado do primeiro semestre no setor rodoviário de cargas

O objetivo do Conet é debater e apresentar temas do segmento para representantes de entidades e empresários

24/08/2020 11h27
Por: Bruno Castilho
1.859

Diante de uma plateia totalmente on-line, mais de 180 pessoas, dentre elas empresários, representantes de entidades e profissionais do transporte rodoviário de cargas, acompanharam a edição de agosto do Conselho Nacional de Estudos em Transporte, Custos, Tarifas e Mercado (Conet), na qual dados do setor foram disponibilizados com base no primeiro semestre de 2020.

Pela primeira vez na história, o evento de quase 50 anos foi realizado pela internet. Desde sua criação, o Conet e a Intersindical já passaram por diversas cidades brasileiras, como Bento Gonçalves, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, São Luís, Vitória, Natal, São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro e Rio Quente. O objetivo sempre foi percorrer o Brasil debatendo e apresentando temas do setor para representantes de entidades e empresários.

O presidente da NTC&Logística, Francisco Pelucio, agradeceu a todos os participantes, patrocinadores e apoiadores. Na oportunidade, comentou: “Diante desse momento de distanciamento, por conta do novo coronavírus, decidimos fazer uma versão compacta do Conet, realizando ele on-line, porque não poderíamos deixar de divulgar o resultado da Pesquisa da NTC/ANTT que mostra o índice de defasagem do frete e de contribuir com outras informações para todos os representantes do TRC”, disse.

O presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Vander Costa, ressaltou a importância do Conet e comentou sobre o trabalho que vem sendo realizado em Brasília junto ao congresso nacional. “Estamos trabalhando com o parlamento para resolução dos assuntos que prejudicam de alguma forma o setor transportador, como a desoneração da folha e a lei geral de proteção de dados”.

Eduardo Rebuzzi, vice-presidente da NTC&Logística, comentou sobre o trabalho dos subgrupos, sendo eles o trabalhista, o tributário, o regulatório e o de infraestrutura, que começaram a funcionar novamente e estão desenvolvendo ações importantes para o setor.

O panorama completo das vinte semanas de acompanhamento do impacto da crise no setor foi divulgado pelo assessor técnico da NTC, Lauro Valdívia. Responsável pela pesquisa junto ao Decope, Valdívia informou que a queda brusca registrada quando as medidas de isolamento social atingiram um ápice no país chegou a levar a demanda de cargas a uma variação negativa de 45,2% em abril, com os segmentos de shopping centers e indústria automobilística figurando entre os mais impactados, segundo a pesquisa. Hoje, após quinze semanas de recuperação, a demanda geral está em 22%, uma recuperação de 51% da perda registrada.

“Esperamos, com a abertura total de shoppings, lojas de rua e restaurantes, que voltemos à normalidade em três meses, com o fim do ano, Natal e Ano Novo”, acredita o presidente da NTC, Francisco Pelucio. Ele também avalia que o período que se aproxima pode ajudar a ampliar a retomada, aliada ao crescimento do comércio eletrônico.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários