VOLVO VMX MAX

Caminhões da Volvo rendem mais que máquinas agrícolas

Produtores rurais usam a flexibilidade do caminhão vocacional Volvo para aplicação de insumos como fertilizantes e calcário

30/10/2023 11h57Atualizado há 7 meses
Por: Romulo Felippe

 

ntroduzido no mercado na linha 2023, o VMX MAX já teve mais de 30 unidades comercializadas para esse tipo de operação. Projetados para operação fora de estrada, os caminhões Volvo VMX MAX vêm sendo encomendados para implementação com o distribuidor de insumos Hercules 24000 C da Stara, empresa especializada em máquinas, implementos agrícolas e softwares para a agricultura de precisão.

O veículo percorre as linhas de plantação para distribuir corretivos como calcário, gesso agrícola, fertilizantes e sementes. O implemento pode vir equipado com sistema de telemetria e controlador com diversos tipos de visualizações na mesma tela para um domínio mais preciso da operação. Mais eficiente Os caminhões Volvo substituem tratores nessas operações com enormes ganhos. O Hércules 24000 C faz a aplicação em velocidade de 4 a até 18 km por hora.

Com isso, permite trabalho em até 1.200 hectares por dia em operações de 24 horas, o que não é possível com tratores. “O ciclo de operação como um todo é muito mais eficiente”, diz Jeseniel Valério, gerente de engenharia de vendas de caminhões da Volvo. O Volvo VMX MAX cumpre dupla função: transporta e aplica os insumos. Assim, é muito mais adequado para atender várias propriedades rurais de um mesmo dono, empresa ou cooperativa.

“Nosso caminhão é muito flexível e adaptável em todas as aplicações. Consegue ser mais econômico e executa todo o ciclo com uma velocidade média maior, sendo muito mais eficiente e produtivo que os tratores. Oferece muito mais disponibilidade e, com isso, eleva a rentabilidade do produtor”, observa Valério. Superpotência

O agronegócio brasileiro é um dos mais vibrantes do mundo. Números da Embrapa, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, situam o Brasil como o 4º maior produtor de grãos, com cerca de 8% da produção global, atrás apenas de EUA, China e Índia. O País é o maior produtor e exportador de soja e responde por metade do mercado mundial de açúcar, café e milho. A participação brasileira no mercado mundial de grãos quintuplicou em uma década. Várias razões explicam a posição de player global do Brasil no agrobusiness. E ciência e tecnologia são dois dos fatores mais relevantes.

Pesquisa da McKinsey & Company revela que ao menos 47% dos produtores brasileiros usam tecnologias de alta precisão em suas fazendas, com recursos como softwares, Internet das Coisas, GPS e gerenciamento de dados para melhorar a produtividade no campo. “Estamos atentos a esse movimento. Participamos dessa evolução do agro nacional com caminhões de alta tecnologia, que apoiam atividades desde a lavoura até a entrega do produto final”, diz Clovis Lopes, gerente comercial de caminhões da Volvo. 

Ao longo de suas duas décadas de história, o caminhão Volvo VM é reconhecido por sua ampla flexibilidade. A linha 2023 tem como destaque os novos motores D8K, de fabricação própria da Volvo. Com potências de 290cv e 360cv, são até 10% mais econômicos do que os da geração anterior. Os veículos receberam também a opção de caixa I-Shift de 7ª geração, a mesma que equipa os caminhões Volvo FH, FM e FMX.

Outro destaque da nova linha é justamente o modelo Volvo VMX, específico para aplicações fora de estrada. A versão VMX MAX 6x4 tem PBT de 34 toneladas, duas a mais que seu antecessor. Vem com o motor de 360cv e freio motor VEB de 300cv. Com chassi duplo reforçado, tem uma suspensão dianteira parabólica de oito toneladas, sendo a traseira semielíptica de 26 toneladas e o mesmo eixo com redução nos cubos do Volvo FMX.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários