DAF
VENDA DA VOLVO

Comboio de ônibus sai do Brasil e cruza a perigosa cordilheira dos Andes

Comboio de veículos cruzou a cordilheira dos Andes e já está na capital chilena para início das operações em janeiro. Ao todo, serão 566 novos ônibus Volvo no sistema de transporte da cidade

02/01/2023 06h41Atualizado há 1 mês
Por: Romulo Felippe

 

Comboio de veículos cruzou a cordilheira dos Andes e já está na capital chilena para início das operações em janeiro. Ao todo, serão 566 novos ônibus Volvo no sistema de transporte da cidade, considerado um dos mais importantes do continente e do mundo. São 473 ônibus convencionais e 93 articulados. A operação dos veículos será feita pelas empresas RBU Santiago S.A. e Buses Alfa e Omega, do Grupo Metropol, dentro da Red Metropolitana de Movilidad, nome do sistema de ônibus de Santiago.

 

As entregas fazem parte da licitação definida ano passado, a maior da América Latina nos últimos anos. “A Volvo tem uma longa história no sistema de transporte público de Santiago. Nossos ônibus têm alto reconhecimento por parte dos operadores e também da população da cidade. É um privilégio manter a forte presença da nossa marca nessa renovação de frota”, afirma André Marques, presidente da Volvo Buses Latin America.

 

Os chassis Volvo foram produzidos nas fábricas de Curitiba (Brasil) e Borås (Suécia). Já as carrocerias foram fabricadas pela Marcopolo, em Caxias do Sul (RS) e pela Caio, em Botucatu (SP). Para chegar a Santiago os veículos seguiram em comboio atravessando os Andes pela famosa estrada de “Los Caracoles”, assim chamada pela longa sequência de curvas sinuosas na transposição de altitude na cordilheira que separa Argentina e Chile. A viagem tem mais 2.700 km, percorridos em dez dias.

 

Se realizada durante o inverno, a jornada tem duração imprevisível, por conta das fortes nevascas que podem provocar o fechamento da estrada. “Fizemos um planejamento detalhado para que os veículos cruzassem os Andes no melhor momento e chegassem dentro do prazo determinado pela licitação para início da operação”, assegura José Antonio Margalet, diretor comercial de ônibus da Volvo Chile.

 

Os 93 ônibus articulados são do modelo Volvo B8R articulado. É um chassi com entrada baixa, capacidade para 180 passageiros e motor traseiro de 8 litros. Os demais 473 ônibus também são do modelo Volvo B8R com entrada baixa, só que na configuração convencional, para 78 ou 95 passageiros, dependendo da carroceria. Os veículos têm sistema de freios eletrônicos a disco, suspensão eletrônica, sistema de gerenciamento de frotas Volvo Connect, serviço conectado de gerenciamento de zonas de segurança, dentre outros recursos avançados.

 

Esta licitação da Red Metropolitana de Movilidad separou a gestão e responsabilidade dos provedores de frota da dos operadores de frota, num redesenho do modelo tradicional de sistema público de transporte. Os ônibus Volvo são de propriedade da Provebus, que é parte da Volvo Financial Services, divisão financeira do Grupo, que receberá valores mensais para disponibilizar os veículos às empresas que vão operar os veículos. A manutenção da frota será executada pelos operadores, mas auditadas por terceiros indicados pela Volvo, sempre com peças e serviços genuínos da marca. O contrato determina ainda treinamento de motoristas, além de sistemas de telemetria para a gestão online dos ônibus e da operação. “Soluções destruptivas com esta de Santiago vêm de encontro à necessidade de elevar a qualidade do transporte público e facilitar mecanismos financeiros para operadores e autoridades de trasnporte na América Latina”, afirma Alexandre Selski, diretor de vendas estratégicas da Volvo Buses Latin América.

 

O sistema de ônibus da Red atende cerca de 6,2 milhões de usuários nos 32 municípios da Região Metropolitana, mais Puente Alto e San Bernardo, uma área geográfica e urbana de cerca de 680 km2. Em um dia útil, são feitas cerca de três milhões de transações nos mais de seis mil ônibus do sistema.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários