Olho no amortecedor do caminhão. Veja as dicas!

2014

Componente relacionado diretamente à segurança do veículo, o amortecedor sofre desgaste ao longo do tempo. Como os efeitos do esgotamento nem sempre são visíveis e perceptíveis, é preciso ficar de olho a alguns sinais. Os pneus, por exemplo, podem ser ótimos termômetros para indicar quando a suspensão precisa passar por uma revisão.

De acordo com o coordenador de treinamento técnico da Monroe, Juliano Caretta, marcas não contínuas na região central dos pneus podem significar problemas nos amortecedores.

“Esses desgastes localizados, e em formato de ‘concha’, podem indicar que os amortecedores estão com algum tipo de problema ou até mesmo montados de forma errada”.

O especialista explica ainda que esses sinais ocorrem quando a suspensão funciona de forma inadequada e os pneus passam a dar pequenos pulos, não ficando em contato permanente com o solo. “Esses sinais são mínimos e quase imperceptíveis ao motorista. Por esse motivo, é essencial que se faça a revisão periódica de todas as peças”, alerta.

O coordenador comenta ainda que sempre que os pneus apresentarem qualquer tipo de desgaste é preciso investigar a real causa do problema. “É comum que as pessoas os troquem e não verifiquem o que provocou o defeito. Isso pode gerar riscos ao dirigir, já que o componente defeituoso segue sem ser inspecionado. Além disso, a falta de uma manutenção preventiva pode causar gastos excessivos, pois a peça substituída provavelmente vai sofrer desgaste novamente”.

Além das marcas nos pneus, amortecedores desgastados podem causar ruídos na suspensão, derrapagens, aumento da distância de frenagem, inclinação excessiva nas curvas. Ainda oscilações bruscas, balanço ao arrancar o caminhão e perda da estabilidade. Excesso de vibração também pode ser um traço de que está na hora de trocar a peça.

“Caso o motorista note qualquer problema de dirigibilidade no veículo, ele deve procurar imediatamente uma oficina ou centro automotivo para inspecionar os amortecedores”, orienta Juliano Caretta.

A vida útil do amortecedor é proporcional às condições de uso do veículo. A Monroe recomenda revisar as condições dos amortecedores quando os mesmos atingirem aproximadamente 40.000 quilômetros e, após este período, fazer checagens periódicas a cada 10.000 quilômetros, ou conforme a orientação da fabricante do veículo.

 



A Editora Viver! publica, entre outras, as Revistas Caminhões e Viver!. É uma empresa especializada em publicações segmentadas. Possuí equipe própria de jornalistas e correspondentes pelo Brasil.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *