Berliet, o maior caminhão do mundo na década de 50

1886

Na década de 1950 a busca por petróleo nas maiores planícies do mundo aumentava, mas tinha chegado à vez do deserto do Saara. Isto exigiu missões específicas e equipamentos pesados. E fazer os equipamentos chegarem aos campos de petróleo não era fácil. Foi então pedido a Berliet, um fabricante francês de caminhão com sede em Lyon, um caminhão com uma extremidade elevada de carga útil. Isso em 1956. Concebido e produzido em apenas nove meses, o projeto continha todo o conhecimento disponível para a época. O resultado foi o Berliet T100.

O T100 foi apresentado no Salão do Automóvel de Paris em 1957. O caminhão era muito grande para ficar nas instalações do evento. O fabricante construiu uma sala especial de exposição, denominado Salão Saara.

O T100 foi por muito tempo o maior caminhão no mundo. O veículo tinha um comprimento de 15,30 metros, 4,98m de altura e 4,43m de largura. O gigante tinha tração nas quatro rodas (6×6) ou apenas nas rodas traseiras (6×4). A cabine podia acomodar um motorista e três passageiros.

O piso era plano e adequado para o transporte de equipamentos grandes e pesados como na extração de petróleo e gás. O motor era um motor diesel V12 Cummins com 12 cilindros e dois turbo compressores, com uma capacidade de 29,6 1itros, representando uma força de 600 a 700 hp.

A velocidade máxima era de cerca de 34 km/h. Para dirigir o T100 tinha que ter um motor de carro Panhard extra. A direção assistida também permitia um motor principal estacionário. O raio de manobra era de 13,2m. A caixa de velocidades era semi-automática Clark com quatro marchas à frente e quatro inversas.

O veículo possuía pneus com bandas do tamanho 37,5x33R, o que corresponde a uma largura de 1,0m e uma altura de 2,2 m. As rodas tinham freios a disco da marca Messier que eram destinadas a aeronaves. O T100 tinha dois tanques de combustível de 950 litros cada. Sua capacidade de carga era de 80 toneladas (caminhão com reboque).

Foram construídos quatro Berliet T100 somente. Três caminhões foram construídos com o controle normal (com a cabine atrás do eixo dianteiro). O quarto foi construído com controle para frente (projeto cab-over-engine e acomodações para dormir).

Depois de trabalhar nos campos de petróleo e gás do Saara, após a independência da Argélia o Berliet T100 tornou-se propriedade do governo argelino, e acabou por serem preservados em Hassi Messaoud.

 



A Editora Viver! publica, entre outras, as Revistas Caminhões e Viver!. É uma empresa especializada em publicações segmentadas. Possuí equipe própria de jornalistas e correspondentes pelo Brasil.


One thought on “Berliet, o maior caminhão do mundo na década de 50

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *